26.3.20

Dica do dia: BLECAUTE, de Marcelo Rubens Paiva





No embalo do extraordinário sucesso de Feliz ano velho (1982), Marcelo Rubens Paiva lançou, quatro anos depois, Blecaute (1986, primeira edição pela Brasiliense), romance ficcional no qual parecia querer fugir do estigma de ser autor de um livro autobiográfico - e só. Blecaute ainda carrega forte dose de adolescência, é uma obra despretensiosa do ponto de vista literário, mas simpática de ser lida.   

Na história, Rindu, o narrador, e dois amigos, resolvem fazer uma expedição às cavernas do Vale do Ribeira. Para o infortúnio do pequeno grupo, ou não, os jovens ficam presos nas cavernas por três dias, por conta de uma tempestade. Quando conseguem sair, todas as pessoas do planeta haviam se transformado em estátuas. Encontram uma São Paulo absolutamente deserta, são os únicos sobreviventes de um fenômeno inexplicável. As descobertas, os medos, conflitos e luta pela sobrevivência vão se tornar o cotidiano dos personagens.

Inspirado, segundo o próprio autor, no seriado de televisão estadunidense Twilight Zone (Além da imaginação, na versão brasileira), Blecaute serve como inspiradora reflexão para esses dias de isolamento e cidades desertas.

Prefira sempre ler o livro impresso, mas se desejar, clique aqui para baixar o livro gratuitamente.

Aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades.  
 

24.3.20

Admirável mundo novo






Estamos no ano 2540, ou 632 DF (Depois de Ford), um mundo onde a o modelo norte-americano atingiu seu grau máximo, a história parece esbarrar em sua última fronteira, tudo é padronizado, de seres humanos (gerados cientificamente) à economia, à obrigatoriedade da felicidade oferecida pela tecnologia. A identidade e personalidade são moldadas pelo Estado por meio de hipnopedia, hipnose auditiva durante o sono, “a maior força socializante e moralizante de todos os tempos”. Desde seu nascimento, o ser humano é educado em “centros de condicionamento do Estado”. A sociedade é dividida em castas e cada pessoa assume um papel de acordo com suas habilidades (ou meritocracia, para usar um termo atual).

Escrito por Aldous Huxley (1894-1963) em 1931 e publicado no ano seguinte, Admirável Mundo Novo é a consagração do pesadelo tecnológico a serviço de um Estado totalitário. A obra de Huxley se apropria de seu tempo, dos avanços científicos que a humanidade experimentava, ou almejava (como a clonagem humana, tema de recorrente na ficção da época, e teorias comportamentais como as desenvolvidas por John B. Watson), da derrocada da economia do planeta, ocasionada pela crise mundial de 1929 e o avanço do fascismo e do nazismo.

A distopia de Huxley se passa seis séculos no futuro, mas fica clara a urgência de sua denúncia. O próprio autor escreveu, em 1947: “parece que a utopia está mais próxima de nós do que se poderia imaginar há quinze anos. Nessa época coloquei-a à distância futura de seiscentos anos. Hoje parece praticamente possível que esse horror se abata sobre nós dentro de um século”.

A leitura de Admirável Mundo Novo me impactou mais do que 1984, outro clássico do gênero, assinado por George Orwell. Aldous Huxley descreve um “mundo perfeito”, absolutamente condicionado, dominado pela propaganda do Estado, com pessoas irremediavelmente felizes, como nas fotos que vemos atualmente nas redes sociais, e com os – poucos – opositores perseguidos e exterminados.

O livro, lançado no Brasil em 1941, é um manifesto pela humanidade, mas, também um alerta e uma denúncia contra tempos sombrios que se avizinhavam. Uma distopia que a atualidade parece querer transmutar em realidade. 


Prefira sempre ler o livro impresso, mas se desejar, clique aqui para baixar o livro gratuitamente.

Aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades.  

22.3.20

NÃO VERÁS PAÍS NENHUM





Não verás país nenhum

Autor: Ignácio de Loyola Brandão
Ano de lançamento: 1981
Gênero: romance


Escrito em 1981, ainda sob o regime militar brasileiro, esta obra surpreendente conta acompanha a vida de Souza, ex-professor de História, que sobrevive como funcionário público, em um futuro distópico, em uma São 

Paulo dominada por lixo, gangues, burocratas e militares e milícias, os "civiltares".
Além da ditadura política que não terminou neste futuro incerto, o país convive com a degradação ambiental, a Amazônia virou um deserto, racionamento de água, calor insuportável, alimentos artificiais e manufaturados, ausência quase total de vida animal e vegetal, nascimento de crianças deformadas e mutantes.

Para tentar "contornar" problemas, como o do calor intenso, o governo constrói uma enorme marquise (que dá para ser vista da Lua) para abrigar do Sol as milhões de pessoas presas nesse pesadelo.
NÃO VERÁS PAÍS NENHUM é uma obra-prima de como o futuro poderia ser caótico. Quarenta anos após sua publicação, com nossas florestas queimando, nosso território e riquezas sendo entregues diariamente, um governo autoritário apoiado por milícias paramilitares, vemos que Loyola Brandão não narrou um pesadelo ficcional, mas uma quase premonição.   

Li o livro em 1982 e ainda me marca o sentimento que ficou ao término da leitura: um misto de desencanto com a humanidade, a certeza de que essa distopia poderia tornar-se realidade e o sonho de não chegar a ver esse país nenhum narrado por Loyola. E aqui estamos, em meio a uma pandemia, com esse governo, esse capitalismo. O pesadelo quase se tornando realidade. 

Para ler o livro acesse o site da Editora Limiar 

Aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades.  


   

20.3.20

MISS CORAÇÕES SOLITÁRIOS




Dica de livro para hoje: 

MISS CORAÇÕES SOLITÁRIOS, da Nathanael West. Escrito em 1933, ou seja, ainda sob os efeitos da depressão de 1929 e às portas da eclosão da Segunda Guerra Mundial, o livro conta a história de um homem, sem nome, que passa a dar conselhos para leitores de jornais, ávidos por alguma palavra de esperança. Nem ele leva a coisa a sério a princípio, mas, aos poucos, vai questionando seus valores morais, sua própria infelicidade, existência e os caminhos de uma humanidade à deriva no início dos anos 30.

Camadas de incertezas se acumulam nesse romance ácido, às vezes irônico, mas profundamente depressivo e envolvente.


Este livro não está disponível no site da Limiar, mas se você quiser baixar grátis algumas grandes obras da literatura mundial, clique aqui

Aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades.  


Confira um trecho do livro:

“Vamos ver se você entende. Vamos começar do princípio. Um sujeito é contratado para dar conselhos aos leitores de um consultório sentimental. É um negócio só para aumentar as vendas do jornal, e todo mundo da redação leva a coluna na brincadeira. O sujeito acha que é um bom emprego, porque talvez dali ele passe pra uma coluna social, e além disso ele já está cansado de correr atrás de notícia. Ele também leva a coisa na brincadeira, só que depois de uns meses não consegue mais achar graça naquilo. Vê que a maioria das cartas são pedidos de conselhos morais e espirituais feitos com profunda humildade; que elas exprimem, ainda que de modo confuso, um sofrimento verdadeiro. Ele descobre também que seus correspondentes o levam a sério. Pela primeira vez na vida, é obrigado a questionar seus próprios valores, e ao fazer isso percebe que é a vítima de tal brincadeira, e não o autor dela.”

14.3.20

Lançamento do livro TANTAS VIDAS SEVERINA é adiado





Amigos, amigas, tendo em vista o surto de coronavírus e o estado de saúde de Severina Acioli, que merece cuidados, FOI ADIADO o lançamento que iria ocorrer neste dia 15 de março. Solicitamos a compreensão de todos e avisaremos assim que nova data for definida.
O livro encontra-se à venda pelo site da Editora Limiar www,editoralimiar.com.br
Obrigado a todos/as.



Conheça nosso catálogo de títulos

Você pode consultar o Catálogo da Limiar pelos links abaixo e adquirir diretamente pela nossa loja virtual:

1) Diretamente pelo PDF - acesse aqui


2) Pelo sistema de publicação do Issuu - acesse aqui


3) Pelo site da Editora - acesse aqui



Caso deseje receber nossas novidades, deixe seu endereço de email em nossa lista de assinantes para receber nossa newsletter e se manter sempre atualizado. Clique aqui para cadastrar seu email.