26.6.20

Há 140 anos, Brasil instituía o cartão-postal


Cartão-postal de Theodore Hook, de 1840


Há muita controvérsia sobre a origem desse simpático objeto de lembrança 


Em 28 de abril de 1880, ou seja, há 140 anos, o Brasil instituía o cartão-postal, por meio do Decreto n. 7695, proposto pelo então Ministro da Agricultura, Comércio e Obras Públicas, Manuel Buarque de Macedo. 

Não há consenso sobre sua origem. A Enciclopédia Itau Cultural afirma que  "as origens do cartão-postal remontam ao século X, com os cartões de felicitações enviados pelos chineses. No ocidente, esse costume difundiu-se a partir da década de 1450, na região do Alto Reno. O cartão-postal, tal como o conhecemos hoje, foi inventado pelo prof. Emmanuel Hermann e lançado em 1º de outubro de 1869 na Áustria, sendo reservado apenas às mensagens escritas".

Cartão-postal do psiquiatra e antropólogo Fernando Gonçalves a
Arthur Ramos com imagem do Rio Capibaribe em Recife, PE (1941)
Em outra versão, citada pela Biblioteca Nacional, a partir do Wikipedia, "o inventor pode ter sido o norte-americano H. L. Lipman que, junto com J. P. Charlton, patenteou o chamado Lipman’s Postal Card, em 1862. Outra versão sugere que o diretor dos Correios da Confederação da Alemanha do Norte, Heinrich Von Stephan, teria lançado a ideia na Conferência Postal Germano-austríaca, em 1865. Ainda outra diz que o professor de Economia Política no Império Austro- húngaro, Emmanuel Hermann, teria proposto a adoção dos postais pelo seu baixo custo e simplicidade, em 1869.

Já o site da revista Super Interessante, em matéria de 4 de julho de 2018, afirma que "o mais antigo cartão-postal de que se tem notícia foi enviado em 1840 pelo escritor londrino Theodore Hook para… Ele mesmo! Hook gostava de pegar peças e decidiu fazer uma pegadinha com os carteiros. O item foi leiloado em março de 2002 por £31,750, mais de 122 mil reais. Até sua descoberta, em 2001, discutia-se se os cartões-postais haviam sido inventados na Alemanha, Áustria ou nos Estados Unido por volta de 1860". 

Como se percebe, sobre esse simples objeto, em forma retangular, com uma imagem (foto ou ilustração) de um lado, e espaço para uma mensagem no verso, criado para baixar o custo do envio (por não precisar de envelope), há muita controvérsia. 

Ainda segundo a Biblioteca Nacional, no Brasil, os primeiros cartões-postais eram de monopólio oficial e já vinham com o selo. Com o passar dos anos foi dada a autorização para a impressão dos postais pela indústria e a circulação pelos Correios após serem selados.

Nesses tempos virtuais, o cartão-postal parece destinado a se tornar objeto de museu, mas ainda é muito legal receber um enviado por amigo/a, parente, escrito com a própria letra, escolhido "ad hoc" para você.  




Nenhum comentário:

Postar um comentário